08.11.2013

‎sexta-feira, ‎8‎ de ‎novembro‎ de ‎2013

 

“Tinha Zedequias vinte e um anos quando começou a reinar, e reinou onze anos em Jerusalém. E fez o que era mau aos olhos do Senhor seu Deus: e não se humilhou perante o profeta Jeremias, que lhe falava da parte do Senhor.”

2 Crônicas 36:11-12

Para Refletir

Por intermédio de Jeremias o Senhor havia declarado a respeito dos homens ímpios que presunçosamente ousavam apresentar-se diante do povo em Seu nome: “Porque tanto o profeta, como o sacerdote, estão contaminados; até na Minha casa achei a sua maldade.” Jer. 23:11. Nas terríveis condenações de Judá como registradas no encerramento da narrativa do cronista do reinado de Zedequias, esta acusação de violarem a santidade do templo foi repetida. “Também”, declara o escritor sagrado, “todos os chefes dos sacerdotes e o povo aumentavam de mais em mais as transgressões, segundo todas as abominações dos gentios; e contaminaram a casa do Senhor, que Ele tinha santificado em Jerusalém.” II Crôn. 36:14.

O dia da condenação para o reino de Judá estava-se aproximando rapidamente. O Senhor não poderia mais pôr perante eles a esperança de evitar Seus mais severos juízos. “Ficareis vós totalmente impunes?” ele inquiriu. “Não, não ficareis impunes.” Jer. 25:29. […]

Na dianteira entre os que estavam rapidamente levando a nação à ruína, estava Zedequias, seu rei. Desprezando inteiramente os conselhos do Senhor dados por intermédio dos profetas, esquecendo a dívida de gratidão jurada a Nabucodonosor, violando seu solene juramento de submissão feito em nome do Senhor Deus de Israel, o rei de Judá se rebelou contra os profetas, contra seu benfeitor e contra seu Deus. Na vaidade de sua própria sabedoria ele foi em busca do auxílio do antigo inimigo da prosperidade de Israel, “enviando os seus mensageiros ao Egito, para que se lhe mandassem cavalos e muita gente”.

“Prosperará?” o Senhor inquiriu com respeito a quem tinha assim vilmente traído todo sagrado encargo; “escapará aquele que fez tais coisas? ou quebrantará o concerto, e escapará? Como Eu vivo, diz o Senhor Jeová, no lugar em que habita o rei que o fez reinar, cujo juramento desprezou, e cujo concerto quebrou, sim, com ele no meio de Babilônia certamente morrerá. E Faraó, nem com grande exército, nem com uma companhia numerosa, fará coisa alguma com ele em guerra, … pois que desprezou o juramento, quebrantando o concerto, e deu a sua mão; havendo feito todas estas coisas, não escapará”. Ezeq. 17:15-18.

O dia de ajuste final tinha chegado para o “profano e ímpio príncipe”. “Tira o diadema”, o Senhor decretou, “e levanta a coroa.” A Judá não seria mais permitido ter um rei até que Cristo mesmo estabelecesse o Seu reino. “Ao revés, ao revés, ao revés a porei”, foi o edito divino com respeito ao trono da casa de Davi; “ela não será mais, até que venha Aquele a quem pertence de direito, e a Ele a darei.” Ezeq. 21:25-27.

(Profetas e Reis – Ellen G. White)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s