30.10.2012

terça-feira, 30 de outubro de 2012

 

Cheguei-me a um dos que estavam perto, e perguntei-lhe a verdadeira significação de tudo isso. Ele me respondeu e me fez saber a interpretação das coisas.

Daniel 7:16

Para Refletir…

 

As jóias da verdade jazem esparsas no campo da revelação; foram, porém, soterradas pelas tradições humanas, pelos dizeres e mandamentos dos homens; e a sabedoria do Céu tem sido, por assim dizer, ignorada. Satanás tem tido êxito em fazer crer que as palavras e as realizações dos homens são de grande importância. Há veios da verdade ainda a serem descobertos; mas as coisas espirituais se discernem espiritualmente. Uma passagem da Escritura se demonstrará a chave para descerrar outras passagens e, por esse modo, deita-se luz sobre o oculto sentido da palavra. Comparando-se os vários textos que tratam do mesmo assunto, considerando-lhes o conteúdo de todos os lados, a verdadeira significação das Escrituras se tornará evidente.

Aquilo que, nos conselhos celestes, o Pai e o Filho julgaram essencial à salvação do homem acha-se claramente apresentado nas Escrituras Sagradas. As infinitas verdades da salvação são tão claramente expressas, que os seres finitos que desejam conhecer a verdade não podem deixar de compreender. Têm sido feitas revelações divinas para sua instrução na justiça, a fim de que glorifiquem a Deus e ajudem a seus semelhantes.

Essas verdades encontram-se na Palavra de Deus – a norma pela qual nos cumpre julgar entre o certo e o erro. A obediência a esta Palavra é, para a juventude, o melhor escudo contra as tentações a que se acham expostos enquanto se educam. Com essa Palavra aprenderão a honrar a Deus e a ser fiéis à humanidade, cumprindo alegremente os deveres, e enfrentando as provas que cada dia traz, levando corajosamente seus fardos.

Cristo, o grande Mestre, procurou desviar a mente dos homens da contemplação das coisas terrestres a fim de poder-lhes ensinar as celestiais. Houvessem os mestres de Seu tempo sido voluntários para serem instruídos por Ele, houvessem eles unido-se a Ele no semear o mundo com a verdade, e a Terra seria bem diversa do que é hoje. Houvessem os escribas e fariseus juntado suas forças ao Salvador, e o conhecimento de Cristo teria restaurado a imagem de Deus em sua alma.

Os guias de Israel, porém, desviaram-se da fonte do verdadeiro conhecimento. Estudavam as Escrituras apenas para apoiar as próprias tradições e validar suas observâncias de feitura humana. Por suas interpretações, faziam com que elas exprimissem sentimentos nunca manifestados por Deus. O sentido místico que lhe davam tornava indistinto aquilo que Deus fizera claro. Discutiam pormenores e negavam, por assim dizer, as verdades mais essenciais. Roubavam à Palavra de Deus o poder, e os maus espíritos executavam assim a própria vontade.

As palavras de Cristo não contêm coisa alguma que não seja essencial.

(Conselhos Professores, Pais e Estudantes Ellen G. White)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s