Resumo da Lição (06)

Texto-chave: Atos 5:28-32

O aluno deverá…

Conhecer: Arrependimento e confissão estão relacionados com reavivamento e recebimento do Espírito Santo.

Sentir: Sensibilidade ao poder de convencimento do Espírito Santo, que leva ao arrependimento e confissão.

Fazer: Aplicar os princípios bíblicos de arrependimento e confissão à própria vida e, com o apóstolo Paulo, buscar uma “consciência pura diante de Deus e dos homens” (At 24:16).

Esboço

I. Conhecer: A natureza do arrependimento e confissão
A. Qual é a diferença entre arrependimento e confissão?
B. Por que arrependimento e confissão são pré-requisitos essenciais para receber a plenitude do Espírito Santo? Quem inicia o arrependimento e a confissão?
C. Quando a culpa é destrutiva, e quando é saudável?

II. Sentir: Libertação da culpa e condenação
A. Quando Paulo considerou a pecaminosidade de sua vida, declarou que era o principal dos pecadores (1Tm 1:15). Como ele lidava com a culpa de seu passado? De que maneira Paulo compreendia pecado e justiça? Que diferença essa compreensão faz em nossa vida?
B. O que deve ocorrer para que arrependimento e confissão sejam eficazes em nossa vida?

III. Fazer: Experimentando a alegria de uma consciência limpa
A. De que maneira a experiência do perdão de Deus afeta nosso relacionamento com os outros?
B. Por que a confissão cura a alma?

Resumo: No cenáculo, os discípulos arrependeram-se e confessaram seus pecados a Deus e uns aos outros. Foram reconciliados com Deus e unidos aos irmãos. Prepararam o coração para receber o derramamento do Espírito Santo no Pentecostes. O pecado impede esse mesmo derramamento em nossa vida, bloqueando o fluxo do Espírito de Deus. Arrependimento e confissão de pecados específicos abrem os canais obstruídos da alma, para que recebamos o mais precioso dom de Deus, o Espírito Santo em Sua plenitude.

Ciclo do Aprendizado

Motivação

Focalizando a Palavra: Salmo 32:1-5

Conceito-chave para o crescimento espiritual: Arrependimento e confissão de pecados são elementos-chave do crescimento espiritual. A menos que reconheçamos nossos pecados e os confessemos, o poder do Espírito Santo em nossa vida será limitado. Quando nos rendermos à influência do Espírito e prepararmos o coração para recebê-Lo, Ele virá à nossa vida em toda a Sua plenitude.

Somente para o professor: Enfatize a importância de atender ao poder de convencimento do Espírito Santo e confessar os pecados. Somente se formos honestos com nós mesmos diante de Deus poderemos receber as bênçãos que Ele anseia derramar sobre nós.

Jim e Tom tinham quase trinta anos. Eram professores em uma pequena escola cristã. No início do ano escolar, eles tiveram um desentendimento que colocou uma grande tensão sobre seu relacionamento. Tentavam evitar um ao outro, tanto quanto possível. Era óbvio que havia uma séria tensão entre eles. Essa animosidade muitas vezes transbordava nas reuniões da equipe. Tom opunha-se a qualquer posição que Jim assumisse em uma questão. A tensão estava no ar. O corpo docente e os estudantes percebiam.
Perto do fim do ano letivo, um jovem pastor realizou uma semana de ênfase espiritual na escola. O Espírito de Deus se moveu no coração de professores e estudantes de maneira acentuada. No fim da semana, na sexta-feira à noite, ocorreu um lava-pés e Santa Ceia. Durante o lava-pés, Jim aproximou-se de Tom e disse: “Tom, posso lavar seus pés? Errei na maneira como tratei você durante este ano. Sinto muito.” Tom ficou espantado. Os dois se abraçaram e participaram juntos do lava-pés. As barreiras entre eles foram derrubadas. O ambiente na escola mudou drasticamente. O amor fraternal substituiu a hostilidade. A bondade substituiu a competitividade acentuada e a graça de Cristo uniu dois professores afastados. Foi necessário que alguém desse o primeiro passo, e Jim tomou a iniciativa.

Comente com a classe: Por que é tão difícil darmos o primeiro passo em direção a alguém que nos ofendeu?

Comentário Bíblico

I. Quando Jesus orou pela unidade
(Recapitule com a classe Jo 17:11, 20-24.)

Jesus sabia que logo deixaria Seus discípulos. Pouco antes de Sua crucificação, orou para que eles fossem um. Você pode sentir o fervor em Sua voz ao ler Sua oração: “Que todos sejam um; e como és Tu, ó Pai, em Mim e Eu em Ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que Tu Me enviaste” (Jo 17:21). Jesus orou para que Seus discípulos tivessem entre si o íntimo relacionamento que Ele havia tido com Seu Pai celestial.

Uma das maiores evidências de que o cristianismo é real é a unidade da igreja de Cristo. Quando pessoas de diferentes origens, com culturas e opiniões diferentes se relacionam em amorosa unidade, os não cristãos observam. No livro Atos dos Apóstolos, Ellen G. White descreve a experiência dos discípulos com estas palavras: “Havia nesses primeiros discípulos frisante diversidade. Eles deviam ser ensinadores do mundo e representavam amplamente variados tipos de caráter. Para conduzir com êxito a obra para a qual haviam sido chamados, esses homens, diferindo em características naturais e em hábitos de vida, necessitavam chegar à unidade de sentimentos, pensamento e ação. Essa unidade Cristo tinha por objetivo assegurar” (p. 20).

Pense nisto: Os discípulos não permitiriam que seus diferentes traços de personalidade, pontos de vista sobre várias questões ou preferências pessoais impedissem o cumprimento da missão. Por que nos sentimos desconfortáveis diante de pessoas que pensam de forma diferente de nós sobre algumas questões? Qual é a diferença entre unidade e uniformidade? O que Cristo pediu em Sua oração?

II. Ilustração sobre unidade
(Recapitule com a classe 1Co 12:12-18.)

A igreja de Corinto tinha seus problemas, como por exemplo: conflitos entre os membros; imoralidade e divórcio; idolatria; ações judiciais; mau uso da Ceia do Senhor e do dom de línguas e ainda heresia doutrinária. Um dos principais problemas na igreja era a divergência entre os membros (1Co 1:10-12). Em 1 Coríntios 12, Paulo explicou que as diferenças não precisam levar à divisão. Unidade não é uniformidade. Cada membro é parte do corpo de Cristo. Assim como os diferentes órgãos do corpo têm funções diferentes, mas cada um se harmoniza com o todo para o bem do corpo, cada membro da igreja é dotado por Deus para abençoar todo o corpo (1Co 12:12, 19-24). Há muitos membros, mas um só corpo (1Co 12:20). É Deus quem, segundo Sua vontade, dota cada membro para o serviço (1Co 12:11, 18).

Pense nisto: A mensagem principal de 1 Coríntios 12 é que cada membro da igreja foi colocado no corpo por Cristo, é dotado por Cristo e, de acordo com Cristo, é necessário para uma igreja saudável e em crescimento. Como a compreensão do conceito dos dons espirituais nos leva a celebrar nossa diversidade e abraçar nossas diferenças?

Aplicação

Somente para o professor: Os discípulos focalizaram o cumprimento da tarefa que Jesus lhes tinha dado. Eles estavam comprometidos com a proclamação da Sua mensagem de amor ao mundo. Este é o ponto principal da lição desta semana: desunião prejudica a missão. Conflito gera caos, e Cristo não reina supremo no meio do caos.

Perguntas para reflexão e aplicação

1. Suas fortes opiniões já criaram conflitos em sua casa ou na igreja? O que você pode fazer para reduzir os conflitos?

2. Se você tem fortes sentimentos negativos em relação a alguém na igreja, o que pode fazer para reparar o relacionamento quebrado, mesmo que seja você a pessoa prejudicada?

3. Como o envolvimento pessoal na missão da igreja promove a unidade?

Atividades práticas

Aqui estão duas situações imaginárias. Escolha uma delas e comente sobre a solução em pequenos grupos de dois ou três alunos.

Situação 1: Você ouve que, em uma reunião da comissão de nomeações da igreja, seu nome foi considerado para uma função, mas um dos membros dessa comissão fez algumas observações negativas e depreciativas sobre você. Como você vai lidar com isso? O que você vai fazer?

a. Não dirá nada.
b. Falará com o pastor sobre o assunto.
c. Falará com a pessoa que fez as observações.
d. Nenhuma das opções acima.

Situação 2: Depois do culto algumas pessoas estão conversando na frente da igreja. Por acaso, você ouve alguém fazendo uma observação maldosa sobre um de seus amigos. Você sabe que as palavras não são verdadeiras. O que você vai fazer?

a. Não dirá nada.
b. Falará com a pessoa na frente do grupo.
c. Contará a seu amigo.
d. Nenhuma das opções acima.

Passe os últimos minutos da classe falando sobre maneiras de resolver conflitos quando surgem divisões na igreja. Encerre a classe com uma oração pela unidade da igreja. Deixe este pensamento com a classe: a missão nunca será cumprida se a igreja estiver cheia de conflitos. Cristo apela para que sejamos todos unidos em amoroso testemunho, para que alcancemos o mundo com a Sua mensagem para os últimos dias.

Planejando atividades: O que sua classe de Escola Sabatina pode fazer na próxima semana como resposta ao estudo da lição?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s