3. A Palavra: A Base Do Reavivamento

Lição 3

13 a 20 de julho 

Sábado à tarde

Ano Bíblico: Pv 12–15

VERSO PARA MEMORIZAR:

“Pleiteia a minha causa e livra-me; vivifica-me, segundo a Tua Palavra” (Sl 119:154, RC).

Leituras da Semana:

Sl 119:50, 74, 116; Hb 4:12; 11:3; Jo 5:39; Hb 4:1, 2; At 20:27-32

Assim como o sincero estudo da Bíblia gerou movimentos reavivamentistas no passado, acreditamos que isso acontecerá novamente nos últimos dias. O Espírito Santo Se moverá sobre uma geração de cristãos adventistas comprometidos que descobriram na Palavra de Deus a vontade dEle e têm paixão por anunciá-la ao mundo.

Eles encontrarão graça, força e esperança em Sua Palavra e nela descobrirão os encantos incomparáveis de Cristo. Por isso, Deus honrará seu comprometimento derramando o Espírito Santo em abundância sobre eles e todo o mundo será iluminado com a glória da mensagem dos três anjos. O Espírito Santo será derramado sem medida, o evangelho será levado aos confins da Terra e Jesus Cristo voltará (Mt 24:14).

Na lição desta semana estudaremos o papel da Bíblia no reavivamento e como a Palavra de Deus pode mudar nossa vida, quando acatamos com fé e obediência seus preceitos e verdades.

 

Domingo

Ano Bíblico: Pv 16–19

Reavivados pela Palavra

1. Leia cada um dos versos abaixo. Na primeira linha escreva a súplica. Na segunda linha escreva a circunstância que levou Davi a fazer a súplica. Sl 119:25; Sl 119:107; Sl 119:153, 154

2. Nos Salmos, Davi falou sobre as bênçãos da Palavra em sua vida espiritual. Leia os seguintes versos do Salmo 119 e escolha uma palavra de cada verso que melhor resume as bênçãos que o salmista descobriu nessa Palavra.50; 74; 116; 130; 160; 169; 170

Davi encontrou coragem e força na Palavra de Deus. Nela, ele descobriu esperança e orientação divina. A Palavra trouxe luz à sua mente obscurecida (Sl 119:130), alimentou seu coração faminto e saciou sua alma sedenta (Sl 119:81). Quando Saul ameaçou matá-lo, ele se apegou à promessa divina de livramento (Sl 34:4). Atormentado pela culpa depois de sua relação adúltera com Bate-Seba, ele se apegou à promessa do perdão de Deus (Sl 32:1, 2). Perplexo a respeito do futuro, agarrou-se à promessa de orientação divina (Sl 32:8). Davi exclamou com alegria: “A Tua palavra me vivificou” (Sl 119:50, RC). A base do reavivamento é encontrar nova vida na Palavra de Deus.

Como você pode aprender a encontrar na Palavra de Deus esperança, força, segurança e luz? Isto é, como pode ter uma experiência mais profunda com o Senhor ao conhecê-Lo como Ele é revelado na Bíblia?

 

Segunda

Ano Bíblico: Pv 20–22

Poder criativo da Palavra

3. Leia Hebreus 4:12. A passagem afirma que “a Palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra” o nosso íntimo. Em que sentido a Palavra de Deus é viva?

4. Qual é a diferença entre a Palavra de Deus e o conselho inteligente de um sábio professor, pastor ou conselheiro? O que a Bíblia diz sobre o poder da Palavra de Deus? Sl 33:6, 9; Hb 11:3; 2Tm 3:16, 17

Há valor no sábio conselho do ser humano. Todos já fomos ajudados pelos conselhos de outros. O problema é que o conselho humano não tem o poder de realizar a transformação que a Palavra de Deus opera. A Palavra de Deus é um vivo, dinâmico e poderoso agente de transformação. O mesmo poder que estava na palavra pronunciada por Deus na criação está na Palavra escrita de Deus. Ao aceitar os mandamentos e promessas de Deus pela fé, recebemos o poder do Espírito Santo para fazer a vontade de Cristo.

“A energia criadora que trouxe à existência os mundos está na Palavra de Deus. Essa Palavra comunica poder e gera vida. Cada ordenança é uma promessa; aceita voluntariamente, recebida na alma, traz consigo a vida do Ser infinito. Transforma a natureza, restaurando-a à imagem de Deus” (Ellen G. White, Educação, p. 126).

Uma leitura casual da Palavra de Deus muito raramente produz reavivamento espiritual. Estudar a Bíblia para provar uma teoria, ou para convencer alguém de seus erros, produz bem pouco benefício para nossa vida espiritual. A transformação ocorre quando em oração lemos a Palavra de Deus, pedindo que o Espírito Santo nos dê poder para ser mais semelhantes a Jesus. A verdadeira transformação acontece quando pedimos que o Deus da criação nos recrie à Sua imagem.

A mudança ocorre quando os ensinamentos de Jesus nas Escrituras se tornam parte de nossa vida, e vivemos “de toda palavra que procede da boca de Deus” (Mt 4:4).

O poder da Palavra de Deus mudou sua vida? Em que áreas você ainda precisa ser transformado?

 

Terça

Ano Bíblico: Pv 25–27

Jesus e a Palavra

5. Qual é a semelhança entre a função da Palavra de Deus e do Espírito de Deus? Jo 5:39; 16:14, 15

A Palavra de Deus dá testemunho de Jesus. O Espírito Santo também dá testemunho de Jesus. O Espírito Santo nos leva a uma experiência mais profunda com Jesus por meio da Sua Palavra. O propósito do Espírito Santo no reavivamento não é primeiramente Se manifestar com sinais e maravilhas sobrenaturais, mas exaltar Jesus por Sua Palavra. O batismo do Espírito Santo não está relacionado com nosso poder para realizar grandes milagres. Trata-se do poder de Deus para transformar nossa vida. Esse é o significado de reavivamento e reforma.

A Palavra de Deus provê o fundamento ou a base de todo genuíno reavivamento. Nossa experiência flui da compreensão da Palavra de Deus. Nosso louvor e adoração brotam de mentes cheias da Palavra. Uma vida transformada é o maior testemunho do verdadeiro reavivamento.

Sentimentos de louvor podem acompanhar o reavivamento, mas não são a base para ele. Qualquer suposto “reavivamento” com base exclusivamente em sentimentos externos ou experiência, na melhor das hipóteses, é superficial. Na pior das hipóteses, é enganoso. É uma ilusão de espiritualidade, não piedade genuína. Quando o reavivamento está enraizado na Palavra de Deus, é uma experiência que perdura e faz a diferença em nossa vida e na de pessoas ao nosso redor.

A história da aparição de Jesus aos dois discípulos no caminho de Emaús revela o papel da Bíblia no início do verdadeiro reavivamento. Esses seguidores de Cristo estavam muito confusos. Aos poucos, porém, Ele expôs “o que a Seu respeito constava em todas as Escrituras” (Lc 24:27). Ele repetiu as profecias do Antigo Testamento sobre o Messias. Jesus poderia ter operado um milagre para provar Sua identidade ou mostrado as cicatrizes em Suas mãos. Ele não fez assim. Em vez disso, deu-lhes um estudo bíblico.

Observe a resposta deles, quando refletiram sobre o que havia acontecido naquele dia. “Disseram um ao outro: Porventura, não nos ardia o coração, quando Ele, pelo caminho, nos falava, quando nos expunha as Escrituras?” (Lc 24:32).

Que exemplo de genuíno reavivamento!

Por que não podemos confiar em nossos sentimentos? Como nossos sentimentos podem nos enganar? Qual é e qual não é a função deles em nossa caminhada com o Senhor?

 

Quarta

Ano Bíblico: Pv 28–31

Reavivamento, fé e a Palavra 

Falando do tempo antes de Sua vinda, Jesus perguntou: “Quando vier o Filho do Homem, achará, porventura, fé na Terra?” (Lc 18:8). Evidentemente, a fé estará em falta nos últimos dias.

Como podemos definir a fé bíblica? Fé é acreditar que Deus nos dará tudo o que queremos? A fé está centralizada em nossos desejos? Fé significa pedir a Deus aquilo que desejamos e acreditar que receberemos, se apenas acreditarmos o suficiente?
Devemos saber as respostas para essas perguntas retóricas, não é mesmo?

A verdadeira fé está sempre focalizada na vontade de Deus, não em nossos desejos. É confiar em Deus, acreditando em Suas promessas, e agindo de acordo com Sua Palavra. Nossa fé cresce quando ouvimos a Palavra de Deus e a pomos em prática
(Rm 10:17; Tg 2:17, 18). Abrir a mente aos ensinamentos da Palavra de Deus edifica a fé. Fazer o que Deus diz, mesmo que isso seja contrário aos nossos desejos pessoais, prepara-nos para receber a plenitude do poder do Espírito Santo.

6. Por que algumas pessoas recebem pouco benefício da leitura da Bíblia? Hb 4:1, 2

Nossa experiência espiritual é reavivada quando aceitamos e reivindicamos a Palavra de Deus pela fé. Alcançamos pouco benefício ao lermos a Bíblia apressadamente, por obrigação ou dever. Somos transformados quando interiorizamos o que lemos, e permitimos que os ensinamentos da Bíblia moldem nossos pensamentos e nossa vida.

7. Compare a fé do centurião romano, do paralítico de Betesda, e a dos discípulos no tempestuoso mar da Galileia (Mt 8:8-10; Jo 5:6-9; Mt 14:29-33). O que podemos aprender com cada relato?

A fé não cresce apenas ao lermos ou ouvirmos a Palavra de Deus. Ela surge quando reivindicamos Suas promessas como sendo nossas e quando cremos que o que Ele disse se aplica a nós, pessoalmente. Deus deu a cada um de nós uma medida de fé. Ela é um dos dons do Céu (Rm 12:3). Quando exercitamos a fé que Ele já colocou em nosso coração, essa não pode deixar de crescer.

 

Quinta

Ano Bíblico: Ec 1–4

A Palavra: guardiã e salvaguarda do reavivamento

O Espírito Santo Se moveu poderosamente pelo ensino e pregação do apóstolo Paulo quando ele estabeleceu a igreja cristã em Éfeso, uma cidade de aproximadamente 150 mil pessoas. Era considerada o mercado da Ásia, um grande bazar. Quando os navios traziam suas mercadorias de toda a Ásia, as pessoas corriam para Éfeso a fim de comprar seda fina, joias raras, especiarias saborosas, tapetes feitos à mão, requintados objetos de arte e comidas exóticas. Ela era também o centro de adoração à deusa Diana e o futuro lar da famosa Biblioteca de Celsius, com 12 mil volumes. A cidade teve um magnífico anfiteatro com capacidade para 15 mil pessoas. Era utilizado para grandes concertos e produções teatrais. A promiscuidade sexual era comum. Se já houve um lugar em que era improvável que o cristianismo criasse raízes, crescesse e florescesse, esse lugar era Éfeso.

8. Leia Atos 20:27-32. Qual era a preocupação de Paulo para com os cristãos de Éfeso? Qual foi seu conselho para eles? Que papel ele atribuiu à Palavra de Deus?

9. Leia 1 Pedro 1:22, 23; Tiago 1:21, 22; 1 João 2:14. Quais são os ensinamentos de Pedro, Tiago e João sobre a importância da Bíblia na vida do cristão? Observe especialmente o ensino dos discípulos sobre o impacto da Bíblia em nossa vida espiritual.

Que semelhanças você vê nos textos acima em relação ao papel da Palavra de Deus? Por que a Palavra de Deus é tão importante para o reavivamento espiritual de cada pessoa e da igreja em geral?

 

Sexta

Ano Bíblico: Ec 5–8

Estudo adicional

“Satanás emprega todo artifício possível para impedir os homens de obter conhecimento da Bíblia, pois seus claros ensinos põem a descoberto os enganos dele. Em todo avivamento da obra de Deus o príncipe do mal está desperto para atividade mais intensa. Ele aplica atualmente todos os seus esforços em se preparar para a luta final contra Cristo e Seus seguidores. O último grande engano logo vai tornar-se evidente diante de nós. O anticristo vai operar suas obras maravilhosas à nossa vista. Tão meticulosamente a contrafação se parecerá com o verdadeiro que será impossível distinguir entre ambos sem o auxílio das Escrituras Sagradas. Pelo testemunho delas toda declaração e todo prodígio deverão ser provados.

“Os que se esforçam por obedecer a todos os mandamentos de Deus defrontarão oposição e escárnio. Apenas em Deus será possível subsistir. A fim de suportarem a prova que diante deles está, devem compreender a vontade de Deus como se acha revelada em Sua Palavra. Poderão honrá-Lo, unicamente, tendo uma concepção correta de Seu caráter, governo e propósitos, e agindo de acordo com estes. Pessoa alguma, a não ser os que fortaleceram o espírito com as verdades das Escrituras, poderá resistir no último grande conflito” (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 593).

Perguntas para reflexão

1. Qual é o papel da Palavra de Deus no contexto dos enganos finais? Pense nas implicações desta declaração: “Tão meticulosamente a contrafação se parecerá com o verdadeiro que será impossível distinguir entre ambos sem o auxílio das Escrituras Sagradas.” O que isso nos diz sobre o perigo de julgar a verdade com base apenas na experiência pessoal ou nos sentimentos?

2. Durante a semana lemos Tiago 1:22, que nos convida a ser “praticantes da Palavra”. O que significa isso, e por que é tão essencial para nós, se quisermos ter o verdadeiro reavivamento espiritual? Por que ler, ensinar e falar sobre fé é muito mais fácil do que viver a fé? Nesta semana você foi um bom “praticante da Palavra”?

Respostas sugestivas: 1. Sl 119:25, 107, 153, 154: Vivifica-me segundo a Tua Palavra, liberta-me. Circunstância: Humilhação e aflição. 2. Verso 50: Consolo; 74: esperança; 116: amparo; 130: iluminação; 160: verdade; 169: entendimento; 170: libertação. 3. É viva no sentido de que tem poder para atuar em nosso coração, mostrar nossas deficiências e transformar nosso caráter. 4. As palavras dos homens podem influenciar a vida no planeta, mas a Palavra de Deus, escrita e falada, gera vida a partir do nada, no sentido físico, e regenera a vida espiritual. 5. A Palavra escrita testifica de Jesus Cristo; o Espírito Santo glorifica a Cristo e anuncia as palavras de Cristo. 6. Por falta de fé na Palavra de Deus. 7. Centurião: humildade e fé no poder de cura da palavra de Jesus; paralítico: desejava ser curado, mas já havia perdido a esperança; demonstrou fé ao obedecer à palavra de Jesus; discípulos: ficaram com medo. Jesus disse que Pedro tinha uma pequena fé. 8. Lobos vorazes tentariam afastar de Cristo as Suas ovelhas. Os líderes deveriam proteger a igreja, edificando-a pela Palavra e confirmando-a na santidade. 9. A Palavra purifica, produz amor pelos semelhantes; salva; traz conhecimento de Cristo, força e vitória sobre o maligno. Deus deseja que sejamos praticantes da Palavra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s