Resumo da Lição (11)

Textos-chaves: Gênesis 2:1-3

O aluno deverá…
Reconhecer: Que o sábado foi dado à humanidade antes da queda como um meio de revigorar o relacionamento da humanidade com Deus a cada semana.
Sentir: A importância de reconhecer e proteger os direitos dos outros para a experiência do sábado.
Fazer: Guardar o sábado com gratidão, de uma forma que revigore o relacionamento com Deus e evite privar os outros dessa experiência.

Esboço
I. Saber: Deus e o sábado
A. Por que Adão e Eva necessitavam do sábado em um mundo não caído?
B. Como a guarda do sábado revela o propósito de Deus para a nossa vida?

II. Sentir: A dádiva do sábado
A. O quarto mandamento identifica uma lista de criaturas sobre as quais temos o poder de privar do descanso sabático. Por que é importante sentir a necessidade de proteger o repouso sabático dessas criaturas?
B. Fomos feitos para a comunhão íntima com Deus. Como a observância do sábado pode fortalecer o seu desejo de aprofundar a sua comunhão com o Criador?

III. Fazer: Santificando o sétimo dia
A. Como o sábado revigora o nosso relacionamento com Deus?
B. Como podemos usar a nossa influência para proteger o acesso dos outros ao descanso do sábado?

Resumo: O sábado foi dado antes da queda como uma ferramenta para ajudar os seres humanos a se lembrarem de quem eles são: criaturas finitas sob a soberania de um Deus infinito. O sábado, portanto, foi dado como uma ferramenta para revigorar o relacionamento com Deus. Como tal, o sábado mostra que Deus nos fez para ser mais do que meros produtores de produtos e serviços. Fomos feitos para ter um relacionamento íntimo com Deus. Além disso, em um mundo pecaminoso, temos o poder de privar os outros dessa experiência revigorante, ao fazer com que eles continuem a produzir produtos e serviços para nós no sábado. O quarto mandamento nos chama a exercer o auto-domínio e a usar o nosso poder para proteger o acesso dos outros ao descanso do sábado.

Ciclo do aprendizado

Motivação
Conceito-chave para o crescimento espiritual: A criação e o sábado estão intimamente ligados. A negação da criação tende a levar à negação de outras verdades bíblicas, como o sábado, o Dilúvio, a segunda vinda de Cristo, o novo céu e a nova Terra.

Só para o professor: Ajude a classe a perceber que o ensino da criação está intimamente ligado ao restante da teologia bíblica. Mude sua visão da criação, e você será forçado a mudar outras coisas para manter a consistência lógica.

Nossa lição menciona o fato de que Pedro conecta a negação da criação à negação do Dilúvio e de outros ensinamentos bíblicos. Pedro pode ter sido uma testemunha antiga de tais fenômenos, mas o mesmo padrão também está vivo e intenso atualmente. teólogos do processo, teólogos evolucionistas e outros negam a criação em seis dias de Gênesis 1 como história factual. Alguns desses teólogos também negam a segunda vinda de Jesus, os novos céus e a nova Terra, e outras coisas. Para eles, a ciência moderna tem rejeitado as Escrituras como sendo meras fábulas. Uma vez que a fé na autoridade das Escrituras diminui, a religião se torna uma coleção de ideias religiosas humanamente construídas, nada mais.

A criação, portanto, funciona como um teste decisivo da nossa visão acerca das Escrituras e de sua autoridade. Se a pessoa julga que a Bíblia está errada sobre as origens, é mais provável que ela questione outras histórias miraculosas, como o Dilúvio, a ressurreição de Jesus, ou conceitos como o sábado. A questão central não é a criação em si, mas o impacto da negação de Gênesis 1 sobre a autoridade bíblica.

Pergunta de abertura: Uma pessoa com uma fé humanamente construída aborda as Escrituras de modo diferente daquele que considera as Escrituras a Palavra autorizada de Deus? Como você pode perceber se a sua fé é humanamente construída ou baseada na Bíblia?

Compreensão
Só para o professor: O sábado é mais do que um dia de descanso. Deus nos fez para ser mais do que apenas produtores de bens e serviços para Ele. O sábado é um dia para renovar nosso relacionamento com Deus.

Comentário Bíblico


As dimensões mais profundas da guarda do sábado

(Recapitule com a classe Gn 2:1-3.)

Ao redor de um campus de universidade adventista do sétimo dia não é incomum ver regularmente carros com adesivos que dizem: “O sétimo dia é o sábado, e Deus nunca o mudou.” Essa afirmação sugere uma pergunta: É possível que os adventistas do sétimo dia se concentrem tanto em qual é o dia do sábado que ignorem as dimensões mais profundas da guarda do sábado? Além disso, não é raro ouvir a explicação de que o sábado aumenta a produtividade humana. Ao descansar um dia, podemos produzir mais durante os seis dias seguintes. Mas o sábado é apenas um dia de descanso, permitindo que nos destruamos com excesso de trabalho durante os outros seis dias? Se esse fosse o caso, por que o sábado teria sido necessário no Éden antes da queda, no qual o cansaço não era, presumivelmente, um fator significativo? Por que a humanidade sem pecado precisava do sábado? Várias razões podem ser citadas.

Em primeiro lugar, Adão e Eva tinham tarefas a fazer no jardim. Porém, Deus ordenou que eles não fizessem essas tarefas no sábado. Essa proibição sugere que Deus fez a humanidade não apenas para a produção de bens e serviços. Comunhão íntima com Deus era uma prioridade maior do que simplesmente a produção eficiente. O amor de Deus por nós não está fundamentado naquilo que produzimos para Ele. Em vez disso, Seu amor estende um convite para uma amizade especial e pessoal com Ele. Além disso, parece que até mesmo Adão e Eva poderiam ficar tão absorvidos nas tarefas relacionadas a servir e proteger o jardim que esquecessem a soberania do Senhor sobre eles.

Assim, mesmo antes da queda, o sábado provia um tempo para revigorar a orientação para o relacionamento com Deus, fazendo a pessoa lembrar de que ela era uma criatura finita sob as ordens de um Deus soberano e também misericordioso. Seja antes da queda ou depois dela, essa renovação das forças é uma função vital do sábado.

Em segundo lugar, Adão e Eva tiveram que aceitar o sábado de acordo com os termos e o tempo divinos, reconhecendo assim Seu direito de fazer reivindicações nesse aspecto. Para Adão e Eva, o sábado foi o seu primeiro dia inteiro de existência. Eles não tinham como saber quanto tempo havia ocorrido antes que obtivessem consciência. O senso comum pode ter sugerido a eles que o ecossistema perfeitamente desenvolvido que contemplavam não poderia ter surgido poucos dias antes. A única maneira pela qual eles podem ter sido informados sobre o que realmente havia acontecido é que Deus deve ter revelado a eles a natureza dos dias anteriores da criação. Pela fé, eles tinham que aceitar que o sábado era de fato o sétimo dia da história da Terra e se submeter a um ciclo semanal ordenado por Deus. Assim, a guarda do sábado é um ato de fé, que aceita o calendário divino e reconhece o Seu direito de organizar o nosso tempo e adoração. O sábado, portanto, ajuda a destacar e reverter o problema de Eva: ela esqueceu quem ela era e tentou se tornar igual ao Criador. O sábado nos mostra que Deus nos fez não apenas para ser benefícios utilitários para Si mesmo. O dia do Senhor foi criado para promover uma comunhão íntima entre Deus e a humanidade.

Pense nisto: Além da diferença entre os dias, qual é a diferença entre a observância do sábado e a forma pela qual as pessoas observam o domingo? Como essas diferenças beneficiam a vida espiritual?

Aplicação
Só para o professor: Aqueles que contratamos e empregamos têm direito ao descanso sabático. Deus tem direito à sua observância do sábado. Nós temos o poder de privar as pessoas do seu direito ao descanso sabático e também de privar Deus de Seu direito.

Perguntas para testemunho:

1. Você vê as pessoas como ferramentas utilitárias criadas para produzir produtos e serviços para você mesmo, ou as vê como tendo sido criadas para algo mais? Como essa perspectiva afetará sua maneira de tratar os outros?
2. A quem você pode explorar e dominar? Como os princípios da criação e o sábado influenciam sua maneira de exercer esse poder?

3. Como Isaías 58:1-12 está relacionado aos versos 13 e 14 do mesmo capítulo?

Criatividade
Só para o professor: As duas versões do quarto mandamento mostram que o sábado celebra o poder criador e o poder redentor.

Atividade para discussão:

1. Qual é a relação entre o poder criador e o poder redentor?
2. Se Deus tivesse criado através de processos evolutivos, como isso teria afetado nossa compreensão da relação entre poder criador e poder redentor? O que poderia mudar em nossa compreensão do novo nascimento e da renovação espiritual?
3. Qual é a diferença entre os princípios cristãos do crescimento e desenvolvimento do caráter e os processos da evolução? Por que o crescimento cristão não é simplesmente uma forma de evolução?


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s