Resumo da Lição (12)

Texto-chave: 2 Tessalonicenses 2:1-12

O aluno deverá…
Saber:
 Que o único recurso que protegerá contra os enganos de Satanás nos tempos finais é nutrir o amor à verdade espiritual.
Sentir: A necessidade de crescer no conhecimento e no amor à verdade, tal qual revelada nas Escrituras.
Fazer: Decidir estudar a Palavra de Deus diariamente e permitir que ela transforme a vida.

Esboço
I. Saber: A verdade divina protege contra os enganos

A. Para corrigir o equívoco de que a segunda vinda de Jesus já houvesse acontecido secretamente em seus dias, Paulo lista uma série de eventos que deveriam ocorrer anteriormente. Quais são eles?
B. Até que ponto os eventos listados por Paulo já se cumpriram?
C. Antes da volta de Cristo, Satanás tentará enganar o mundo. Que palavras do texto-chave apontam para a falsidade ou engano? Qual é a única proteção contra o engano?

II. Sentir: O desejo de conhecer a verdade
A. Jesus disse: “E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará” (Jo 8:32, NVI). De que verdade Jesus está falando? Você experimentou o poder libertador da verdade divina?
B. Que razões alguém poderia ter para não querer conhecer a verdade? Qual é o perigo dessa atitude?

III. Fazer: Aprendendo a amar a verdade
A. Na vida cotidiana, o que significa amar a verdade?
B. Como uma pessoa pode passar do simples conhecimento da verdade para o amor à verdade?

Resumo: Aprender a amar a verdade da Palavra de Deus é a única proteção contra os enganos de Satanás.

Ciclo do aprendizado

Motivação
Conceito-chave para o crescimento espiritual: O amor à verdade protegerá os servos de Deus dos poderosos enganos mundiais que serão apresentados por Satanás pouco antes da volta de Cristo.

A maioria dos habitantes do mundo poderia ser iludida pelo último engano do tempo do fim, a ser realizado por Satanás? Embora a ideia possa parecer difícil de acreditar a princípio, indivíduos certamente menos capazes que o Mestre do engano têm iludido nosso “sofisticado mundo com seus ardis. Um exemplo disso é a descoberta dos “Diários de Hitler” em abril de 1983. De acordo com os relatos, os diários manuscritos de Hitler tinham sido resgatados por um general alemão dentre os destroços de um desastre aéreo nazista, acontecido nas cercanias de Dresden em 1945. A revista alemã Stern soube da descoberta em 1980, e pagou cinco milhões de dólares para ter os documentos contrabandeados para fora da Alemanha Oriental. Os direitos de publicação em inglês foram vendidos às revistas NewsweekSunday Times.

A fim de determinar a autenticidade dos diários, a Stern encomendou três análises independentes de uma página, de um dos diários, a especialistas europeus e norte-americanos. Os peritos estavam de acordo em todos os casos: era a escrita de Hitler. Além desses testes, o Sunday Times pediu a Hugh Trevor-Rope, um perito de primeira classe sobre a vida de Hitler, para examinar detalhadamente os volumes. Depois de dar uma examinada prévia nos volumes, Trevor-Rope escreveu para o Sunday Times, dizendoque em sua opinião profissional, os diários eram autênticos.

Dois dias antes da publicação do primeiro artigo no Sunday Times, Hugh Trevor-Rope começou a expressar dúvidas sobre os documentos. Depois da realização de testes complementares, os diários foram declarados falsos. Eles foram finalmente rastreados até Konrad Kujau, um trapaceiro de uma pequena cidade com talento para a falsificação. Kujau explicou depois como enganou os peritos. Ele havia colhido detalhes da vida de Hitler de biografias já publicadas, depois inventou pormenores incidentais, imitou a caligrafia de Hitler, embebeu as páginas em chá e as bateu contra uma mesa, a fim de criar uma aparência envelhecida e desgastada. Ele foi preso e sentenciado a quase cinco anos de prisão (“Konrad Kujau”, London Times, 14 de setembro de 2000).

Pense nisto: Se um malandro do interior pôde enganar tantos especialistas, imagine a sutileza que terão os enganos finais de Satanás. O que podemos fazer a fim de ter certeza de que não seremos ludibriados?

Compreensão

Comentário Bíblico

I. Permanecendo no caminho
(Recapitule com a classe 2 Tessalonicenses 2:1-3.)

Embora nossa tendência seja, provavelmente, avançar de imediato para os enganos dos últimos dias contra os quais Paulo nos adverte nessa passagem, é importante primeiramente entender o contexto no qual o apóstolo coloca suas observações posteriores. Nosprimeiros três versos do capítulo 2, vemos que a grande preocupação de Paulo é pelo bem-estar espiritual dos novos conversos de Tessalônica. Eles tiveram um bom começo, mas Paulo descobriu que a especulação sobre o fim dos tempos os havia deixado tão preocupados que eles estavam em perigo de perder seu foco com relação à maneira de viver no presente.

Paulo descreve o tipo de agitação espiritual que eles estavam enfrentando com duas palavras: abalar e alarmar. A palavra abalar refere-se ao tipo de movimento oscilante produzido por ventos ou ondas. Aqui Paulo parece ter em mente a imagem de um navio quase a ponto de se depreender de suas amarras e ser lançado na tempestade. O uso da palavra alarmar aponta para as mais íntimas emoções de temor que alguém experimenta quando assustado. Esse tipo de ânsia espiritual é altamente destrutivo à vida cristã. Isso deixa as pessoas tão agitadas sobre o que vai ocorrer no futuro, que elas lutam para viver pela fé no presente. Jesus advertiu contra esse perigo emMateus 24, onde diz: “E ouvireis de guerras e rumores de guerras. Vede que não vos alarmeis” (Mt 24:6, English Standard Version, tradução nossa).

Qual é a causa do alarme dos tessalonicenses? Alguns deles haviam chegado à conclusão de que Cristo já havia retornado. Estranho como possa parecer, isso não nos deveria surpreender. Os novos crentes sempre são mais suscetíveis aos falsos ensinos, visto não terem tido tempo suficiente para se firmarem nas Escrituras. Visto que uma interpretação literal da segunda vinda de Cristo se oporia claramente à ideia de que Jesus já havia voltado, podemos concluir apenas que alguns dos tessalonicenses devem ter suposto que Jesus havia regressado espiritualmente. Algo semelhante, talvez, à moderna convicção das Testemunhas de Jeová, que sustentam que a segunda vinda de Cristo teve lugar espiritualmente em 1914.

Pense nisto: A preocupação de Paulo era que os tessalonicenses ficassem tão alarmados com os eventos finais que deixassem de viver para Cristo no presente. Enquanto aguardamos a breve volta de Cristo, como podemos evitar que nossa fé vá para um extremo ou outro?

II. A grande rebelião
(Recapitule com a classe 2 Tessalonicenses 2:3-12.)

Tendo já dito aos tessalonicenses que o retorno de Cristo seria repentino e inesperado (1Ts 5:2), Paulo explicou que Cristo ainda não poderia ter voltado porque havia certos acontecimentos que precisavam ocorrer anteriormente. O primeiro evento seria uma grande “apostasia” (2Ts 2:3) ou uma “rebelião” (no grego “apostasia”) contra Deus, orquestrada pelos poderes do mal (compare com Mt 24:10-12; At 20:29, 30; 1Tm 4:1; 2Tm 3:1-5; 4:3, 4).

Além da apostasia espiritual, Paulo acrescenta que o homem do pecado (ou da iniquidade) deveria ser revelado. O fato de que esse homem deveria ser revelado indica que ele era um indivíduo que preferia manter oculta sua identidade. Ainda que Paulo não identifique especificamente esse personagem, as características que ele menciona fornecem algumas pistas. Primeiro, suas ações são semelhantes ao comportamento maligno do próprio Satanás. Como Satanás, ele reivindica ser Deus e deseja assentar-se no trono de Deus (Is 14; Ez 28). E como Satanás se opõe a Deus e aos Seus seguidores (Zc 3:1, 2), assim o homem do pecado é aquele que se opõe a Deus e à Sua obra. Mas, como a lição também mostra, a terminologia do homem do pecado, usada por Paulo em 2 Tessalonicenses 2:8-10, é comparável à descrição do poder do chifre pequeno de Daniel, que foi usado por Satanás para combater os servos de Deus e Sua obra (comparar com Dn 8:9-12, 23-25). Essas duas pistas apontam para o próprio Satanás e seus vários representantes, usados ao longo dos séculos em sua obra de enganar.

No fim do tempo, o próprio Satanás tentará conquistar a adoração do mundo, executando o maior de todos os enganos – uma falsificação da segunda vinda de Jesus! Paulo aponta esse fato usando a mesma palavra que ele havia utilizado para falar sobre a volta de Jesus (no grego, parousia), para descrever a “vinda” do homem do pecado (no grego, parousia, 2Ts 2:9). Na tentativa de legitimar sua falsa “segunda vinda”, Satanás aparecerá “com todo poder, e sinais, e prodígios de mentira”, quase a mesma expressão que o apóstolo Pedro empregou para testificar da veracidade do ministério de Jesus (At 2:22).

A mensagem de Paulo é clara: o engano final será tão convincente que apenas os que estiverem dispostos a acolher “o amor da verdade” (2Ts 2:10) não serão enganados (comparar com Mt 24:24; Mc 13:22).

Pense nisto: De acordo com o ensino dos reformadores protestantes, os adventistas do sétimo dia têm identificado historicamente o homem do pecado com o papado. Porém, que perigo há em focalizar exclusivamente o papel do papado nos eventos finais? Isto é, embora jamais devamos esquecer sua atuação, as questões são maiores do que apenas o papel do papado.

Aplicação
Perguntas para reflexão
1. Além da história em que Jacó enganou seu pai Isaque, que outras histórias bíblicas mostram uma pessoa enganando outra? O que podemos aprender dessas narrativas com relação às maneiras de evitar os enganos?
2. Paulo diz que os que se perderem “rejeitaram o amor à verdade” (2Ts 2:10, NVI). Conquanto o destino dessas pessoas deva ser lamentado, que “boas novas” podem ser vistas no uso da palavra rejeitaram?
3. Pilatos certa vez perguntou a Jesus: “O que é a verdade?” (Jo 18:38). Levando em conta a importância que Paulo atribui à “verdade” em 2 Tessalonicenses 2:10, 12, como você responderia a essa pergunta?

Perguntas de aplicação
1. Deus é descrito como Aquele que restringe o mal por meio da pregação de Sua Palavra. O poder divino de restrição se manifesta em sua vida?
2. Muitas pessoas serão iludidas pelos enganos de Satanás. O que você pode fazer você agora, não apenas para se proteger, mas também aos que estão em sua esfera de influência?

Criatividade
Só para o professor: Como a lição de sexta-feira destaca, muitas pessoas hoje não veem o papado como uma ameaça, e também não o consideram o principal protagonista que se opõe ao povo de Deus nos eventos finais da história terrena. Pensando nisso e mantendo totalmente diante de nós a perspectiva adventista sobre o papado (que é firmemente apoiada na Bíblia e no Espírito de Profecia), ainda seria prudente lidar com esse assunto com sensibilidade. A atividade seguinte pode ser útil nesse assunto.

Atividade: Mostre para a classe que Satanás tem trabalhado ativamente desde a ressurreição de Cristo para arruinar a obra do Salvador neste mundo e na vida de Seus seguidores. Divida a classe em grupos e peça-lhes que sugiram uma lista de pessoas e instituições que poderiam ser classificadas como “manifestações” do principal “homem do pecado” nos tempos finais.


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s