De Que Lado Você Está?

“E tudo quanto pedirdes em oração, crendo, recebereis” (Mateus 21:22).

Uma boate foi inaugurada na rua principal de uma pequena cidade. A única igreja existente ali reuniu seus membros em vigília para orar durante toda a noite. Os membros pediram a Deus que queimasse aquele local pecaminoso. Poucos minutos após começarem a reunião, um raio atingiu a boate, destruindo todo o prédio. O dono da boate processou a igreja pela destruição e os membros negaram que fossem responsáveis pelo ocorrido. Após ouvir ambos os lados, o juiz declarou: “Não sei de quem é a culpa, mas, percebo que o dono da boate crê em oração e os membros da igreja não.”

A nossa ilustração inicial é uma anedota, porém, eu quero aqui refletir em um ponto: nós cremos ou não na oração? Já ouvimos alguém dizer que “a oração move a mão de Deus”, e reforço a pergunta — cremos verdadeiramente nisso? E se cremos, porque só procuramos a Deus quando já não conseguimos mais achar solução para nossos problemas?

Quando cremos na oração, buscamos a Deus antes de procurar um médico por causa de uma enfermidade, antes de procurar trabalho quando estamos desempregados, antes de escolher a pessoa com quem iremos casar, antes de tomar qualquer decisão em relação ao nosso futuro. Deus tem sempre a resposta certa, a melhor direção a ser tomada, a bênção de que necessitamos. Devemos tomar a iniciativa de lutar pelos nossos objetivos, mas, é muito melhor fazer isso debaixo da orientação do nosso Senhor.

Quem crê na oração não murmura — ora; não desanima diante dos obstáculos — ora; não fica perdido em dúvidas e incertezas — ora. Quem crê na oração está sempre sorrindo, louvando, semeando alegria e felicidade. Quem crê na oração descansa no Senhor porque sabe que é e sempre será mais que vencedor.

De que lado estamos? Dos que creem em oração ou dos incrédulos?

Fonte: Ministério Para Refletir

Anúncios

Sobre Silvio L. Marcelino

Cristão (Adventista do Sétimo Dia). Tecnólogo em Marketing, Licenciado em História - Atualmente atua como Professor de História.
Esse post foi publicado em Meditações, O Poder da Oração, Reflexões. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s