Deputado Evangélico Hostiliza Xuxa Em Comissão Da Câmara

Projeto que proíbe castigos físicos a crianças e adolescentes tem bancada evangélica como opositora.

Deputado evangélico hostiliza Xuxa em comissão da Câmara  Gabriela Korossy/Câmara dos Deputados

A sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara na manhã desta quarta-feira foi marcada por bate-boca entre parlamentares. O deputado Pastor Eurico (PSB-PE) chegou a hostilizar e constranger a apresentadora Xuxa Meneghel, que acompanhou o debate.

A reunião foi tumultuada do início ao fim porque os deputados discutiam a redação final da chamada “Lei da Palmada”, que altera o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e proíbe a aplicação de castigos físicos a crianças e adolescentes. A bancada evangélica é ferrenha opositora da matéria – aprovada nesta quarta após dois anos de tramitação – e tentava evitar que ela fosse concluída.

Quando Xuxa chegou para acompanhar a sessão, ao lado da ministra dos Diretos Humanos, Ideli Salvatti, o clima tenso na reunião já havia provocado interrupção dos trabalhos. No momento em que os evangélicos cobravam o presidente em exercício, Luiz Couto (PT-PB), para encerrar a sessão, o deputado Pastor Eurico hostilizou a apresentadora e disse que sua presença era um desrespeito às famílias do Brasil.

Citando que [SIC]: — “A conhecida Rainha dos Baixinhos, que no ano de 1982 provocou a maior violência contra as crianças”. (Disse, referindo-se ao filme “Amor Estranho Amor”, em que Xuxa aparece em cena de sexo com um adolescente de 12 anos.)

A declaração do Pastor Eurico gerou repúdio da maior parte dos deputados presentes, inclusive de parlamentares que questionavam o projeto, que classificaram a fala como uma “violência inaceitável”. A apresentadora não se manifestou e, depois de encerrada a sessão, deixou a comissão sem comentar o assunto.

Após dois anos de tramitação, o projeto de lei que altera o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e proíbe a aplicação de castigos físicos a crianças e adolescentes foi aprovado na noite desta quarta-feira na comissão da Câmara.

Chamada até então de Lei da Palmada, o projeto seguirá para o Senado com o nome de Lei “menino Bernardo”, em homenagem ao garoto Bernardo Boldrini.

O relator Alessandro Molon (PT-RJ) acrescentou apenas à definição de castigo a expressão “que resulte em sofrimento físico ou lesão” à criança ou ao adolescente. “Não queremos que as crianças sejam espancadas e tratadas de forma humilhante, seja com castigo físico ou não”, disse o relator.

O entrave era a bancada evangélica, que temia a “interferência” da legislação na educação familiar. O relator enfatizou que a proposta não prevê sanções aos pais por usar métodos punitivos na educação dos filhos, apenas encaminhamento dos pais denunciados ao Conselho Tutelar para orientação e, no máximo, advertência.

Na avaliação do petista, a presença de Xuxa pela manhã foi decisiva para a aprovação do texto. O caso Bernardo Boldrini também ajudou a sensibilizar os parlamentares, por isso o nome da lei foi alterado. Os deputados fizeram questão de retirar da lei o sobrenome do pai do garoto. “Não seria possível, exatamente numa lei que seria para evitar casos como esse, incluir o sobrenome de quem eventualmente tenha participado dessa tragédia”, justificou o relator.

Fonte: ZH Noticias

Nota: Não vou falar da Xuxa, creio que cada pessoa já tenha sua opinião formada sobre o assunto! Mas a verdade é que o homem esta seguindo suas próprias inclinações… Socialmente, vemos a decadência moral e cívica! Agora eles querem “impor” a conduta para as famílias?

Nossa Legislação é tão falha, espúria, que muito em breve os pais não terão mais nenhum direito sobre seus filhos. Ai os legisladores correrão atrás de leis que impeçam a violência domestica dos filhos sobre os pais.

Como disse Friedrich Nietzsche: Deus morreu, nós o matamos!  O homem tem posto de lado todos os preceitos Divinos. E o que nós vemos? A decadência individual, espiritual, moral e social, e mesmo assim, continuamos caminhando insanamente rumo a destruição. Que Deus tenha piedade e misericórdia de nós![SM]

“Não evite disciplinar a criança; se você a castigar com a vara, ela não morrerá. Castigue-a, você mesmo, com a vara, e assim a livrará da sepultura.” (Provérbios 23:13-14)

“Mães, estai certas de que disciplinais devidamente vossos filhos durante os seus três primeiros anos de vida. Não lhes permitais formar suas vontades e desejos. A mãe deve ser mente para os filhos. Os três primeiros anos são o tempo para vergar o pequenino rebento. As mães devem compreender a importância desse período. É aí que é posto o fundamento.” (Orientação da Criança, pág. 194).

“Nesta época rebelde, os filhos que não receberam a devida instrução e disciplina, têm bem pouca compreensão de sua obrigação para com os pais. Dá-se muitas vezes que, quanto mais os pais fazem por eles, tanto mais ingratos são, e menos os respeitam. As crianças que foram mimadas e servidas, esperam sempre isto; e caso sua expectativa não se realize, ficam decepcionadas e perdem o ânimo. Essa mesma disposição se manifestará através de toda a sua vida; serão impotentes, dependendo do auxílio de outros, esperando que outros os favoreçam, e lhes façam concessões. E caso encontrem oposição, mesmo depois de atingirem a idade adulta, julgam-se maltratados; e assim atravessam penosamente o caminho pelo mundo, mal sendo capazes de levar as próprias cargas, murmurando e irritando-se frequentemente porque tudo não vai à medida de seus desejos.” (Testemunhos Seletos, vol. 1, págs. 142 e 143).

“Nunca se lhes deve permitir (às crianças) mostrar desrespeito para com os pais. Nunca se deve permitir que a teimosia fique sem ser reprimida. O futuro bem-estar da criança requer disciplina bondosa, amável, mas firme.” (Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, pág. 112).

“Estais vós, que professais ser filhos de Deus, fazendo vossa parte em ensinar a esses que tanto necessitam de ser pacientemente ensinados a irem ao Salvador? Estais desempenhando vossa parte como fiéis servos de Cristo? Estão essas mentes mal formadas, talvez sem muito equilíbrio, recebendo cuidados com aquele amor por Cristo a nós manifestado? A alma das crianças e dos jovens acha-se em perigo de morte, caso sejam eles entregues a si mesmos. Eles necessitam paciente instrução, amor e terno cuidado cristão. Se porventura não houvesse nenhuma revelação a apontar-nos o dever, a própria vista de nossos olhos, e tudo quanto sabemos da inevitável operação de causa e efeito nos devia despertar para salvar esses desafortunados.” (Beneficência Social, pág. 221 e 222).

Anúncios

Sobre Silvio L. Marcelino

Cristão (Adventista do Sétimo Dia). Tecnólogo em Marketing, Licenciado em História - Atualmente atua como Professor de História.
Esse post foi publicado em Comportamento, História Contemporânea, Notícias, Perigos Das Mídias, Violência. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s