Julian Assange E Os Guardadores Do Sábado

Atualmente, talvez o mais famoso recluído político no mundo seja Julian Assange. Fundador da WikiLeaks, tornou-se o principal responsável e rosto pela divulgação de milhares de documentos confidenciais que denunciaram muito do que, a nível mundial, se vai passando nos bastidores, bem longe das páginas dos jornais e dos ecrãs das televisões.

Desde há alguns meses, Assange encontrou abrigo na embaixada do Equador em Londres, Reino Unido, evitando assim uma muito provável deportação para a Suécia, país onde tinha sido acusado de tentativa de violação.

Assange sempre negou as acusações, que na opinião de muitos não passam de um esquema para tentar silenciá-lo e, por consequência, a WikiLeaks.

Acontece que agora, numa entrevista ao canal espanhol La Sexta, Assange revelou mensagens de correio eletrónico da Agência de Espionagem Eletrónica (GCHQ) do Reino Unido em que os espias diziam que as acusações de violação que lhe foram feitas, eram uma montagem. Esta agência mostrou-se embaraçada com a divulgação, o que deve mostrar a validade do que Assange disse.

E vem isto a propósito de exatamente o quê…?

Pois bem, ao saber da notícia, lembrei-me de um outro caso que está previsto acontecer em moldes muito idênticos a este: concretamente, um grupo que por ser incômodo é difamado através de falsas alegações com o intuito de o silenciar, fazer desaparecer de cena.

Relembremos o que está no livro “O Grande Conflito” (Ellen White), p. 590, a propósito dos guardadores do Sábado que, mantendo-se fiéis, são acusados de total responsabilidade pelo caos que entretanto se terá instalado no mundo inteiro (destaque meu):

“E então o grande enganador persuadirá os homens de que os que servem a Deus estão motivando esses males. A classe que provocou o descontentamento do Céu atribuirá todas as suas inquietações àqueles cuja obediência aos mandamentos de Deus é perpétua reprovação aos transgressores. Declarar-se-á que os homens estão ofendendo a Deus pela violação do descanso dominical; que este pecado acarretou calamidades que não cessarão antes que a observância do domingo seja estritamente imposta; e que os que apresentam os requisitos do quarto mandamento, destruindo assim a reverência pelo domingo, são perturbadores do povo, impedindo a sua restauração ao favor divino e à prosperidade temporal. Assim se repetirá com motivos igualmente bem definidos a acusação feita na antiguidade contra o servo de Deus: “E sucedeu que, vendo Acabe a Elias, disse-lhe Acabe: És tu o perturbador de Israel? Então disse ele: Eu não tenho perturbado a Israel, mas tu e a casa de teu pai, porque deixastes os mandamentos do Senhor, e seguistes a Baalim.” I Reis 18:17 e 18. Ao despertar-se a ira do povo por meio de falsas acusações, agirão para com os embaixadores de Deus de modo muito semelhante àquele que o apóstata Israel seguiu com relação a Elias.”

Portanto, vemos que não é assim tão difícil os poderosos da terra intentarem tal empreitada contra os guardadores do Sábado. Afinal, ao que parece já o fazem hoje com quem lhes é incômodo…

Fonte: O Tempo Final

Anúncios

Sobre Silvio L. Marcelino

Cristão (Adventista do Sétimo Dia). Tecnólogo em Marketing, Licenciado em História - Atualmente atua como Professor de História.
Esse post foi publicado em Curiosidades, Reflexões, Verdades Para o Tempo do Fim. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s