Um ano Depois, Pastor Adventista continua preso no Togo

Um ano depois de o pastor adventista do sétimo dia, Antonio Monteiro, ter sido preso no Togo por acusações não confirmadas, os advogados da Igreja e ativistas de direitos humanos estão redobrando esforços para assegurar a sua libertação.

Este semana, oficiais do governo togolês rejeitaram o quinto pedido da Igreja Adventista para a libertação imediata de Monteiro, de acordo com um advogado da sede administrativa da Igreja na região, União Missão do Sahel, que acompanha o caso de perto.

“Amanhã é o triste primeiro aniversário da prisão injusta do pastor Monteiro. Estamos desapontados que o nosso pedido foi mais uma vez recusado apesar dos nossos esforços em curso”, comentou Guy Roger, presidente da União Missão do Sahel.

Roger, que se reuniu com Monteiro na prisão em 13 de março, disse que o pastor está bem e “pela graça de Deus, esperando um milagre”.

Monteiro foi detido em março de 2012 junto com dois outros cristão acusados como como conspiradores numa suposta quadrilha de criminosos que traficavam sangue humano.

No entanto, a testemunha de acusação tem uma história documentada de instabilidade mental e seu depoimento é considerado pouco confiável, declarou um representante da Comissão Nacional dos Direitos Humanos no Togo. Provas e testemunhos ainda sugerem que a declaração comprometendo Monteiro foi obtida sob coação.

Dirigentes da Igreja disseram que a testemunha conheceu Monteiro quando o pastor lhe ministrou anteriormente.

Natural de Cabo Verde, Monteiro desde 2009 havia servido a Igreja no Ministério de Escola Sabatina e Ministério Pessoal para a União Missão do Sahel, com sede em Lomé. Uma busca policial na casa de Monteiro e na sede da Igreja logo após sua prisão não conseguiu produzir qualquer prova de sua ligação com o caso.

A pressão pública para resolver a série de assassinatos no ano passado provavelmente frustrou sua libertação e exoneração, informam oficiais da Igreja. Antes da prisão de Monteiro, grupos de direitos humanos e de uma coalizão de mulheres local acusou a polícia togolesa de não fazer o suficiente para resolver os crimes.

Dirigentes da Igreja Adventista disseram que estão planejando uma grande campanha para abril com enfoque na coleta de assinaturas para uma petição e envio de cartas a oficiais em Togo exigindo um fim à detenção arbitrária de Monteiro e pedindo a prisão dos culpados dos crimes.

Apelos anteriores coordenados pela Igreja incluíram o envio de centenas de cartões de Natal para Monteiro, um dia mundial de oração e uma conferência de imprensa em Lomé. Uma segunda conferência de imprensa é esperada para breve, disse Roger.

Líderes adventistas de liberdade religiosa disseram que pretendem envolver ativamente os jovens nos esforços para libertar Monteiro. Em vários eventos recentes de assinatura de abaixo-assinado no estado da Califórnia, EUA, os estudantes universitários fizeram fila para mostrar seu apoio a Monteiro.

John Graz, diretor do Departamento de Relações Públicas e Liberdade Religiosa da Igreja Adventista a nível mundial, declarou que apelos públicos vão ser intensificados nos próximos meses, uma estratégia para somar-se aos esforços diplomáticos de bastidores para obter a libertação de Monteiro.

“Estamos pedindo a todos os adventistas, todos os cristãos e todas as pessoas que acreditam na justiça para participarem desta campanha”, disse Graz.

Fonte: Portal Adventista

Anúncios

Sobre Silvio L. Marcelino

Cristão (Adventista do Sétimo Dia). Tecnólogo em Marketing, Licenciado em História - Atualmente atua como Professor de História.
Esse post foi publicado em Notícias, Testemunho. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s